Boteclando

PUBLICIDADE
Topo

Para além da Copinha

Miguel Icassatti

09/01/2020 14h06

Arquibancada Botões Clássicos: futebol (de botão) e cerveja / Foto: Miguel Icassatti

Exceção feita à complicada geopolítica atual, os assuntos que tomam nossa atenção no início de ano – e da nova década – não costumam variar muito. Na, por assim dizer, editoria de cotidiano, vão dos temporais ao cair da tarde à solução de um problema: o que fazer com as crianças durante as férias escolares? Na cultura, os especialistas em cinema-música-artes-em-geral compartilham suas listas dos mais-mais do ano passado e divulgam prognósticos não muito convincentes para o próximo Oscar. Ok, começam também a pipocar desfiles pré-carnavalescos aqui e ali.

Quanto ao futebol (brasileiro, diga-se), os times profissionais estão voltando ao trabalho e competição, pra valer, só mesmo a da Copa São Paulo de Futebol Júnior, a Copinha, com as 255 partidas disputadas até o dia do aniversário da cidade, em 25 de janeiro.

Restaurantes e bares – já estamos falando de gastronomia e boemia – que entraram em recesso no período de festas começam, pouco  pouco, a voltar à ativa.

Como é o caso do bar Arquibancada Botões Clássicos, que reabre as portas neste sábado, a partir das 11 da manhã.

Não é por acaso que estamos a escrever sobre ele neste primeiro post de 2020. Afinal, conforme o leitor atento poderá perceber, trata-se de um boteco dedicado ao futebol – e ao futebol de botão. Ou seja, com as portas abertas, já trata de atender ao mesmo tempo aos botequeiros e aos fanáticos pelo ludopédio.

Inaugurado em 2018 na Pompeia, a Arquibancada Botões Clássicos reúne adultos e crianças – sim, crianças – em torneios organizados pelo proprietário, Luciano Araújo. Uma liga com 64 times e que comporta partidas nas noites de terça-feira, por exemplo, tem dois garotos entre os participantes.

A liga chamada Calcio II, que terá jogos às quintas-feiras, reunirá 36 jogadores. Assim que o bar reabrir, restarão 8 vagas disponíveis.

Para se inscrever, basta ir ao bar e pagar o valor de 220 reais, que dá direito à participação e à aquisição de dois times de futebol de botão – desenhados por Luciano, que é designer gráfico –, ou melhor, duas versões do time com o qual o jogador irá competir ao longo do primeiro semestre. Cada torneio – disputado em pontos corridos –, dá direito a diversas premiações: de troféus para campeão a prêmio ao jogador artilheiro, por exemplo. E em meio a esta competição acontecem outras, como Copa, Supercopa e Recopa.

Nos dias em que não há competição, pode-se chegar e bater uma bolinha (de feltro) na mesa montada no canto direito do salão, enquanto provam-se sanduíches como choripán (19 reais), carne-louca (18 reais) e de pernil (17 reais). Para beber, a cerveja Estrella Galicia custa 13 reais e a caipirinha, 20 reais.

No fim das contas, o futebol de botão no boteco acaba por ser bom passatempo também para os dias de férias (no caso das crianças, o refrigerante e o suco saem a 6 reais). E a roda de conversa futebolística, ainda que seja a de botão, estará garantida até o fim desta temporada.

Vai lá:

Arquibancada Botões Clássicos. Rua Raul Pompeia, 1011, Pompeia.

Sobre o autor

Miguel Icassatti é jornalista e curador da Sociedade Paulista de Cultura de Boteco. Foi crítico de bares das revistas “Playboy” (1998-2000) e “Veja São Paulo” (2000), editor-assistente e um dos fundadores do “Paladar/jornal O Estado de S. Paulo” (2004 a 2007), editor dos guias “Veja Comer & Beber” em 18 regiões brasileiras (2007 a 2010), editor-chefe do Projeto Abril na Copa (Placar) e da revista “Men’s Health Brasil” (2011 a 2014). É colunista de “Cultura de Boteco” da rádio BandNews FM e correspondente no Brasil da “Revista de Vinhos” (Portugal).

Sobre o blog

Os petiscos, as bebidas, os balcões encardidos, as pessoas e tudo que envolve a cultura de boteco e outras histórias de bar.

Boteclando