Boteclando

PUBLICIDADE
Topo

Histórico

E aí, firmeza? Firmeza? Firmeza!

Miguel Icassatti

16/01/2020 16h55

Guia Prato Firmeza: mapa gastronômico das quebradas / Fotos: divulgação

Em dezembro de 2019, foi lançada a terceira edição do "Prato Firmeza – Guia Gastronômico das Quebradas de SP".

Assim como nas edições anteriores, a publicação, que custa 20 reais, traz um roteiro de bares, restaurantes, lanchonetes e serviços de alimentação, cuja maioria das recomendações está localizada em localidades mais periféricas – mas não só nessas regiões, é bem verdade. O guia atual traz também endereços em cidades da Grande São Paulo, entre as quais Guarulhos, Jandira e Osasco.

O mais legal do Prato Firmeza é o fato de ser um guia produzido por jovens repórteres – oriundos da É Nóis Escola de Jornalismo – que vivem, comem, circulam e se divertem pelas quebradas. Para além de informar o que é servido nos endereços indicados, vale abrir a mente e o coração para perceber que esses pontos fazem parte do cotidiano e da história de quem escreve. Um guia mais afetivo do que gastronômico, por assim dizer.

Dessa forma, convivem na terceira edição sugestões como uma Frutaria 24 Horas localizada no Parque Continental, na divisa oeste da cidade de São Paulo com Osasco, e o Dogão do Tião, um dos vários vendedores de cachorro-quente no centro dessa cidade cujo símbolo maior da gastronomia é justamente o cachorro-quente.

Bar do Lopes: 80 anos de boemia na Zona Sul

Puxando a sardinha para o nosso lado, se nas duas primeiras edições apareceram botecos de primeira, como o Bar do Berinjela, na Vila Formosa, e o Restaurante da Marlene, em Parelheiros, na edição atual é possível pescar sugestões como o veterano Bar do Lopes, no Jardim da Saúde, que faz uma boa feijoada às quartas e sábados e serve entre outras receitas o filé a "cordomblê", um parmegiana acompanhado de arroz à grega, salada de palmito com legumes e batatas fritas.

Bar do Portuga: pastel de alheira no Jaçanã

Do outro lado da cidade, na Zona Norte, aparece entre outros o Bar do Portuga, participante costumeiro do Festival Comida di Buteco, e que prepara desde uma casquinha de siri a um inusitado e saboroso pastel de alheira, capaz de agradar mesmo a quem não more no Jaçanã, como diz o samba de Adoniran.

Vai lá:

Bar do Lopes. Avenida do Cursino, 1293, Jardim da Saúde.

Bar do Portuga. Avenida Jaçanã, 655, Jaçanã.

Guia Prato Firmeza. À venda no site: enóis.lojaintegrada.com.br

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre o autor

Miguel Icassatti é jornalista e curador da Sociedade Paulista de Cultura de Boteco. Foi crítico de bares das revistas “Playboy” (1998-2000) e “Veja São Paulo” (2000), editor-assistente e um dos fundadores do “Paladar/jornal O Estado de S. Paulo” (2004 a 2007), editor dos guias “Veja Comer & Beber” em 18 regiões brasileiras (2007 a 2010), editor-chefe do Projeto Abril na Copa (Placar) e da revista “Men’s Health Brasil” (2011 a 2014). É colunista de “Cultura de Boteco” da rádio BandNews FM e correspondente no Brasil da “Revista de Vinhos” (Portugal).

Sobre o blog

Os petiscos, as bebidas, os balcões encardidos, as pessoas e tudo que envolve a cultura de boteco e outras histórias de bar.